Manaus, 15 de junho de 2024

Infecção urinária pode levar ao parto prematuro e elevar o risco de intercorrências às mamães e bebês, alerta especialista

Incluir o urologista no pré-natal pode ajudar a garantir a saúde integral de mãe e do bebê, pois, auxilia na detecção e no tratamento de sintomas urinários que acabam surgindo durante a gravidez. Entre as alterações mais comuns, estão as infecções urinárias, ocasionadas por mudanças metabólicas, e que podem induzir ao parto prematuro, se negligenciadas. O alerta é do presidente da seccional amazonense da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), cirurgião uro-oncologista Giuseppe Figliuolo.

Ele explica que, no mês em que se comemora o “Dia das Mães”, a SBU destaca a relevância da especialidade para as mulheres, e em especial, às futuras mamães. Segundo Figliuolo, durante o período da gravidez, o útero comprime a bexiga, ocasionando sintomas urinários importantes, que precisam ser monitorados e, se necessário, tratados.

A maior parte deles é comum à condição. Mas, pode haver alterações mais importantes, como a incontinência e a infecção urinária de repetição .

“Durante a gestação, a mulher pode enfrentar diversas mudanças no sistema urinário, incluindo infecções urinárias, incontinência urinária (ida ao banheiro com mais frequência para o esvaziamento da bexiga) e outras complicações que, se não tratadas adequadamente, podem afetar tanto a mãe quanto o bebê. A expertise do urologista é fundamental para o diagnóstico precoce e o tratamento eficaz dessas condições. Especialmente no caso da infecção urinária, que pode induzir ao parto prematuro”, frisou Figliuolo.

Outra alteração que pode ocorrer é a formação de cálculos urinários, popularmente conhecidos como pedras, as quais podem se alojar nos rins, bexiga e canais de passagem da urina, levando a dores, mal estar, sangramento na urina, entre outros sintomas.

“Isso ocorre em função de mudanças metabólicas e hormonais relacionadas à gravidez. Não é incomum a grávida procurar o consultório do urologista com crises de cólica renal. O tratamento vai depender de inúmeros fatores, mas, na maior parte dos casos, tende a minimizar os sintomas, dando mais qualidade de vida às futuras mamães”, explica.

O cirurgião da Urocentro Manaus também explica que o monitoramento na gravidez, por um urologista, pode ajudar a detectar anomalias renais ou no trato urinário do bebê, ainda no útero, antecipando as possibilidades terapêuticas que podem ser aplicadas após o nascimento.

“A inclusão do urologista no pré-natal assegura uma abordagem multidisciplinar e garante que todos os aspectos de saúde da gestante sejam observados, monitorados e tratados por especialistas. Essa colaboração entre obstetras, urologistas e outros profissionais de saúde resulta em um cuidado mais completo e personalizado”, afirma o cirurgião.

Prevenção às infecções e cálculos urinários

A prevenção, no caso das infecções e cálculos urinários, se dá de maneira prática, com a ingestão de quantidade suficiente de água; não prendendo a urina e incluindo as visitas ao urologista no pré-natal de forma efetiva.

“Além disso, é importante não negligenciar os sintomas e procurar logo ajuda médica”, alerta Figliuolo.

Compartilhe

Postagens Relacionadas

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais lidos

Assine nossa Newsletter

Receba as últimas notícias diretamente no seu e-mail. Não fazemos Spam
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
error: Conteúdo Protegido !!