Manaus, 29 de maio de 2024

Obra do novo Hemoam passou pelas gestões de Omar, Melo, David Almeida e Amazonino e deve ser inaugurada por Wilson Lima

O Hospital do Sangue, considerado a expansão da Fundação Centro de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (FHemoam), unidade de referência no diagnóstico e tratamento das doenças do sangue, está com 93% das obras executadas, apontam dados do portal da Transparência da União. Dez anos após a assinatura do contrato, os investimentos na nova instituição de saúde devem superar os R$ 50 milhões, sendo R$ 37,59 do Governo Federal, via Ministério da Saúde (Programa Assistência Ambulatorial e Hospitalar Especializada), e R$ 12,91 milhões do Governo do Estado. A capacidade de atendimento com a nova estrutura deve ser ampliada em até 300%.

Portal da Transparência / Governo Federal

O contrato original n 78031/2011, foi assinado e publicado no Diário Oficial da União (DOU) em 18 de janeiro de 2012, com vigência até dezembro do mesmo ano e previsão de investimentos de R$ 37,59 milhões, sendo R$4,17 milhões de contrapartida do Governo do Estado e o restante, saindo dos cofres do Ministério da Saúde. À época, o estado era governado por Omar Aziz (PSD), atualmente senador da República. O prazo não foi cumprido.

Diário Oficial da União

A justificativa da proposta apresentada pela FHemoam ao Governo Federal, à época, para a criação da nova estrutura, foi: “para receber recursos de alta complexidade no SUS (Sistema Único de Saúde) em hematologia Maligna, se faz necessário a construção de uma unidade hospitalar e a adequação do espaço hoje existente, inclusive do serviço de hemoterapia, para que seja possível oferecer o tratamento de leucemias, linfomas em adultos e crianças, exames diagnósticos por imagem e de toda a complexidade que o tratamento dessas doenças, que hoje é realizado foram da Fundação Hemoam, com grande perda de tempo e sacrifício para os nossos pacientes”.

Desde a assinatura, passaram-se pelo menos três governos, além do de Omar Aziz, sem que a obra fosse concluída: José Melo (2014 a março de 2017), David Almeida (maio a outubro de 2017) e Amazonino Mendes (outubro de 2017 a janeiro de 2019).

A obra chegou a ser paralisada mais de uma vez e foi retomada em 2019, já no atual governo. Dados do portal Plataforma + Brasil (portal dos convênios) mostram que o 12º termo aditivo foi assinado pelo Governo do Estado, em junho deste ano. Atualmente, a vigência segue até 30 de outubro de 2022.

Portal dos Convênios

Até agora, foram destinados ao Hospital do Sangue, R$ 35,25 milhões, liberados pelo Ministério da Saúde, segundo o Transparência do Governo Federal. Já o Mapa Vivo de Obras (e-obras), da Seinfra (Secretaria de Estado de Infraestrutura), mostra que pelo menos R$ 43 milhões já foram empenhados (reservados) para o Hospital do Sangue, sendo R$ 33,37 milhões pagos à Construtora Mercure Ltda., vencedora da licitação.

Mapa de Obras / Seinfra
Mapa de Obras / Seinfra – Valor atualizado da Oba

Compartilhe

Postagens Relacionadas

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais lidos

Assine nossa Newsletter

Receba as últimas notícias diretamente no seu e-mail. Não fazemos Spam
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
error: Conteúdo Protegido !!