Manaus, 2 de junho de 2023

Mesmo em campanha no Amazonas, Braga e Omar continuam gastando o ‘Cotão’ do Senado com pesquisas e Marketing

*Da Redação

Concorrendo, respectivamente, aos cargos de governador e de senador no Amazonas, os senadores Eduardo Braga (MDB) e Omar Aziz (PSD) já acumulam, em 2022, ano eleitoral, quase R$ 722 mil em gastos com a Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (Ceap), conhecida como Cotão, além de gastos não inclusos no benefício. Os dados são do portal da Transparência do Senado e incluem os meses de campanha.

Os parlamentares destinaram recursos do Cotão para serviços como a elaboração de pesquisas, consultoria e comunicação. Braga, por exemplo, destinou R$ 225 mil dos R$ 327,4 mil declarados como gastos em seu perfil no Senado Federal, à produção de conteúdo multimídia, como áudio, fotos, vídeos e animações, além de mídias digitais e monitoramento de mídias online, como blogs e sites que publicam conteúdo sobre o senador.

Só entre agosto e setembro, período em que ocorre oficialmente a campanha eleitoral, Braga aplicou R$ 50 mil na produção desse tipo de conteúdo e monitoramento. O valor foi pago à empresa L Coelho Serra. Apesar da destinação do recurso, as redes sociais de Eduardo Braga, a exemplo do seu perfil no Instagram, apresentam, predominantemente, conteúdo relacionado à campanha do político ao Governo do Amazonas, desde o dia 16 de agosto, data em que foi liberada a prática pela Justiça Eleitoral.

O senador Omar Aziz, que é candidato à reeleição, utilizou R$ 290 mil dos R$ 394.541 declarados como gastos do Cotão, com a contratação de serviços de apoio à atividade parlamentar, que basicamente incluíram consultorias, assessorias, pesquisas, trabalhos técnicos e outros serviços de apoio ao exercício do mandato parlamentar e assessoria de comunicação e marketing. O valor foi destinado à Uplink Assessoria e Consultoria Empresarial e à Caravelas Consultoria e Comunicação. Entre agosto e setembro, os gastos com pesquisas e consultoria “de qualquer natureza”, chegaram a R$ 60 mil.

Na nota anexada ao serviço não consta qual ou quais pesquisas foram realizadas e o tipo de consultoria prestada. No descritivo consta “assessoria ou consultoria de qualquer natureza, não contida em outros itens desta lista; análise, exame e pesquisa, coleta, compilação e fornecimento de dados e informações de qualquer natureza, inclusive cadastro e similares”.

A reportagem fez contato com as assessorias de Omar e Braga para comentarem os gastos através do Cotão, mas não obteve retorno até o fechamento da matéria.

Compartilhe

Postagens Relacionadas

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais lidos

Assine nossa Newsletter

Receba as últimas notícias diretamente no seu e-mail. Não fazemos Spam
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
error: Conteúdo Protegido !!