Manaus, 28 de fevereiro de 2024

Gastos de Eduardo Braga com o ‘Cotão’ do Senado chegam a quase R$ 4 milhões, entre 2011 e 2022

Os gastos contabilizados pelo senador Eduardo Braga (MDB) com a Ceap (Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar) e outros pagamentos não inclusos no benefício, entre 2011 e 2022, somam quase R$ 4 milhões, apontam dados do portal da Transparência do Senado Federal. O valor equivale a 6,611 parcelas do Auxílio Brasil, pago pelo Governo Federal, às famílias em situação de vulnerabilidade social, que se encontram em situação de pobreza no Brasil.

Braga cumpre, desde 2018, seu segundo mandato como senador e é candidato ao Governo do Amazonas pela coligação ‘Em defesa da vida’ e pela federação ‘Brasil da Esperança’ (PT, PCdoB, PV, MDB, PSD).

O segundo mandado de Eduardo Braga encerra em 2026. Só em 2022, ano eleitoral, o senador já gastou (de janeiro a agosto), mais de R$ 300 mil através do Cotão e gastos não inclusos na cota, sendo R$ R$ 200 mil destinados à comunicação, uma média de R$ 25 mil ao mês, pagos à empresa L.Coelho Serra.

No descritivo das notas fiscais disponíveis no portal da Transparência, consta ‘consultoria em desenvolvimento de conteúdo multimídia (áudio, vídeo, foto e animação) e gerenciamento de mídias digitais.

Braga também gastou, neste ano, mais de R$91,6 mil com passagens aéreas, terrestres e aquáticas nacionais, sendo o maior volume, em março deste ano (R$ 30 mil). Em agosto, o senador, que está em campanha eleitoral no Amazonas, não apresentou gastos com passagens até esta quarta-feira, 17.

O exercício em que o senador apresentou o menor gasto com o ‘Cotão’ -como o benefício é popularmente conhecido -, foi em 2011, primeiro ano de seu primeiro mandato como senador, período no qual ele acumulou pouco mais de R$ 50 mil em gastos. Em 2015, período em que Eduardo Braga foi ministro de Minas e Energia, não foram registrados gastos com o cotão. Em 2018, o senador apresentou o maior gasto, chegando à marca de R$ 550 mil naquele exercício parlamentar. Os dados são abertos e estão disponíveis para pesquisa por qualquer cidadão.

As informações são atualizadas conforme o recebimento, pelo Senado, dos dados do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal – SIAFI. Ordens bancárias de pagamento de diárias são exibidas após dois dias úteis da emissão. Ordens bancárias canceladas em dia posterior ao da emissão deixam de ser exibidas após o recebimento pelo Senado das informações de cancelamento do SIAFI.

Compartilhe

Postagens Relacionadas

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais lidos

Assine nossa Newsletter

Receba as últimas notícias diretamente no seu e-mail. Não fazemos Spam
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
error: Conteúdo Protegido !!