Manaus, 1 de março de 2024

Fapeam realiza 3º Seminário de Resultado/Impactos de Pesquisas

Os resultados e impactos de 19 projetos de pesquisa estão sendo apresentados na 3ª edição do Seminário Fapeam: Resultados/Impactos de Pesquisas, organizado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), que ocorre até esta squarta-feira, 7,. O evento tem por objetivo socializar e popularizar os resultados de projetos fomentados pela Fundação para o desenvolvimento econômico, social, ambiental e científico do estado. 

Participam do simpósio pesquisadores de diversas instituições de ensino e pesquisa do Amazonas, coordenadores de projetos científicos, representantes institucionais, convidados e demais interessados. 

Durante a abertura, a diretora-presidente da Fapeam, Márcia Perales Mendes Silva, destacou o apoio do Governo do Estado com investimento superior a R$ 409 milhões, nos últimos quatro anos, o que permitiu o lançamento de 89 programas, entre os quais, 26 inéditos, destinados para impulsionar a área de ciência, tecnologia e inovação. 

Entre os programas inéditos, Márcia Perales ressaltou os programas voltados para apoiar pesquisas no interior do Amazonas, como o Programa de Apoio à Interiorização em Pesquisa e Inovação Tecnológica no Amazonas (Painter), e os programas direcionados ao incentivo à coordenação de projetos por pesquisadoras, que são ações do movimento “Mulheres e Meninas na Ciência”, além dos orientados para a educação básica. 

Na oportunidade a diretora destacou ainda o aumento do número de de bolsas e auxílios pelo Programa de Apoio à Pós-Graduação Stricto Sensu (Posgrad), que resultou em 1.285 titulações de mestres e doutores, apoiados com recursos exclusivos do tesouro estadual. 

“Isso proporcionou ao Amazonas, desde 2020, o primeiro lugar no ranking, entre as Fundações de Amparo à Pesquisa do Brasil (Faps), em investimentos em bolsas de mestrado e doutorado com recursos advindos do governo estadual. Em função das prioridades e das diretrizes do Governo do Estado estabelecidas no Plano Plurianual (PPA), ocupamos a posição número um do Brasil”, frisou. 

Marco histórico 

Márcia Perales revelou, ainda, o esforço institucional e o alcance do marco histórico da execução orçamentária plena da Fapeam, feito alcançado nos anos de 2020 e 2021, e que pode se repetir em 2022.  “O resultado disso é a soma do trabalho coletivo, o que exige planejamento, estratégia e competência”, disse a diretora, mostrando o mapa de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) de todos os municípios alcançados pela Fapeam. 

Coleções Biológicas/Museus 

Entre os projetos apresentados no Seminário, apoiados pelo Programa Coleções Biológicas/Museus (Edital N° 008/2019), destaca-se o estudo sobre “Insetos da Ordem Hymenoptera (abelhas, formigas e vespas) na Amazônia: A Diversidade escondida em uma coleção”, coordenado por Márcio Luiz de Oliveira, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa).  

O objetivo da pesquisa foi conhecer a diversidade de espécies de algumas famílias de Hymenoptera da Amazônia, já depositadas na Coleção de Invertebrados do Inpa. Para isso, foram instalados cinco arquivos de aço deslizantes, em substituição aos arquivos fixos para melhor organizar o uso da coleção, garantindo a expansão da coleção para os próximos anos. 

Segundo o coordenador, o trabalho dos especialistas-visitantes deixou a coleção de insetos da ordem Hymenoptera num grau de resolução que permite, agora, ser consultada por pesquisadores e estudantes que necessitem dessas informações, com muito mais precisão.  Além disso, o conhecimento adquirido e ampliado, poderá ser utilizado em programas e ações de conservação da natureza e seus usos, de forma mais sustentável. 

“O Seminário torna-se importante para trazer ao público os resultados de pesquisas apoiadas pela Fapeam. Já é o segundo edital que participo e isso é essencial para a melhoria do conhecimento, além de conhecer outras pesquisas”, disse Márcio Luiz. 

Outras pesquisas também apoiadas pelo Programa Coleções Biológicas foram apresentadas nesta terça-feira, são elas: “Informatização da Coleção de Germoplasmas Vegetais do Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA), coordenada pela pesquisadora Simone da Silva, do CBA; a “Coleção Ictiológica Regional da Universidade Federal do Amazonas: Bases para sua Ampliação, Modernização e Popularização da Ciência”, coordenado pela pesquisadora Kedma Cristine Yamamoto, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam). 

Amazonas Estratégico 

Sete pesquisas apoiadas pelo Programa de Apoio Estratégico ao Desenvolvimento Econômico-Ambiental do Estado do Amazonas – Amazonas Estratégico foram apresentadas, entre as quais, o projeto  “Uso contínuo de plantel de tambaqui (Colossoma macropomum) e matrinxã (brycon amazonicus): o aproveitamento máximo de matrizes e reprodutores de espécies Amazônicas”, pelo pesquisador Aldessandro da Costa Amaral, que esteve representando a pesquisadora Fernanda Loureiro de Almeida, coordenadora do estudo.  

A pesquisa busca atender a segurança alimentar e erradicação da fome, além do uso múltiplo de cada matriz, reduzindo o número de matrizes necessárias no plantel, aumentando a preservação ambiental (sustentabilidade da produção). 

Aldessandro disse que é importante que a sociedade tome conhecimento dos resultados que foram realizados com recursos públicos, por meio de programas ofertados pela Fapeam. 

Durante o seminário, foram expostos os estudos “Conservação e uso da coleção de genótipos de guaranazeiro no Amazonas”, coordenado por André Luiz Atroch; “Geração e Transferência de Tecnologias para a Cultura do Abacaxi no Estado do Amazonas, do pesquisador Marcos Vinicius Garcia; e “Estratégias de manejo alimentar e monitoramento da qualidade da água visando a redução dos custos de produção do tambaqui no Estado do Amazonas”, sob a coordenação do pesquisador Jony Koji Dairiki. Todos da Embrapa.  

Os pesquisadores da Ufam, da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e do Inpa, Ariane Mendonça Kluczkovski, Hector Koolen e Sonia Alfaia, respectivamente, apresentaram os resultados dos projetos “Implantação e validação de Protocolo para controle de risco de contaminação na pós-colheita da Castanha-do-Brasil em indústrias do Amazonas”; “Busca por novas substâncias antitumorais a partir de fungos filamentosos do estado do Amazonas”; e “Melhoramento participativo de camu-camu, pupunha e açaí-do-amazonas para uso imediato na Amazônia Central”.  

As duas primeiras edições do Seminário de Pesquisas já reuniram 40 pesquisadores apoiados pelos diversos programas da Fapeam e mais 19 na 3ª edição. A expectativa é popularizar a ciência através da apresentação de resultados e impactos de pesquisa.  

FOTOS: Antônio Lima/Secom

Compartilhe

Postagens Relacionadas

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais lidos

Assine nossa Newsletter

Receba as últimas notícias diretamente no seu e-mail. Não fazemos Spam
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
error: Conteúdo Protegido !!