Amazonas reduz em 56% volume de queimadas em janeiro, mostram dados do INPE

O Amazonas registrou queda de 56% no número de focos de queimadas em janeiro de 2023, em comparação a janeiro de 2022, passando de 157 para 68 ocorrências, segundo dados do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). A tabela mostra, ainda, que o Estado obteve o quarto menor volume de ocorrências no período, entre as nove unidades da federação que compõem a Amazônia Legal.

As ocorrências do Amazonas representam cerca de 8% do total registrado na região Norte. Enquanto que o Pará, campeão em número de focos no País, em janeiro, foi responsável por 39,3% das queimadas ocorridas na região, acumulando 330 registros. A capital do estado foi escolhida pelo Governo Federal para concorrer à sede da COP30, apesar dos altos índices de queimadas.

Série histórica e combate aos crimes ambientais

A série histórica do INPE mostra que o Amazonas reverteu a situação registrada em janeiro de 2022, quando houve um aumento de 324% no número de ocorrências. A redução é fruto de uma série de medidas, entre elas, o aumento da fiscalização promovida pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e a adoção de novas tecnologias que atuam no combate aos crimes ambientais.

No último dia 20, o vice-governador do Amazonas, Tadeu de Souza, esteve na sede do Centro de Monitoramento Ambiental e Áreas Protegidas (CMAAP), do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), órgão vinculado ao Executivo. Com tecnologia de ponta, a central possibilita o trabalho de controle, fiscalização e monitoramento de desmatamento e queimadas ilegais no estado, além de agilizar processos de licenciamento e vistorias ambientais nos municípios do interior.

“O combate às práticas ilegais é um marco da gestão do governador Wilson Lima, e queremos que isso se prolongue e avance ainda mais. O que temos aqui já é algo muito grandioso, com informações nacionais e internacionais disponíveis”, destacou o vice-governador.

Para o diretor-presidente do Ipaam, Juliano Marcos Valente, o CMAAP, o uso de imagens de satélite de média e alta resolução, confirma o compromisso do Governo do Amazonas com as políticas ambientais.

“Na gestão do governador Wilson Lima, o Ipaam experimentou uma série de avanços e vamos seguir trabalhando, ainda mais, na busca da melhor prestação de serviço à sociedade. Esta visita de hoje sinaliza apoio governamental incisivo e efetivo na proteção ao Meio Ambiente”, afirmou o diretor.

Com o CMPAA, o Ipaam amplia o monitoramento com dados temporais que permitem a observação contínua da cobertura vegetal nas áreas de maior degradação potencial. Além de propriedades inseridas no Cadastro Ambiental Rural (CAR), Empreendimentos Licenciados e Áreas Protegidas (Unidade de Conservação Estadual (UCE), Unidade de Conservação Federal (UCF) e Terras Indígenas).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *